quinta-feira, 15 de março de 2012

Reabilitação Oral: Desconfie das promessas de ‘sorriso imediato’

Cresce a cada dia o número de pessoas que lotam os serviços  odontológicos – públicos e privados – de todo o País, em busca de um sorriso bonito. Segundo a Agência Nacional de Saúde (ANS), os atendimentos cresceram 230% nos últimos cinco anos, mais da metade disso incentivados por tratamentos de implantadontia e reabilitação oral, em pacientes que sofrem com inflamações bucais, tais como gengivites, e com infecções que geralmente começam como simples cáries e evoluem para infecções de canal e até para a perda do dente.

Seguindo essa onda, nos últimos anos, explodiram no mercado serviços e clínicas dedicadas à venda de tratamentos odontológicos baseados na instalação de implantes dentários. Infelizmente, uma parte deles não cumpriu as promessas propagandeadas e algumas foram personagens de problemas jurídicos graves. Isso porque vendiam o conceito dos implantes como uma prática quase milagrosa. Idéias errôneas e falsas expectativas foram criadas em um grande número de pessoas, na medida em que tais clínicas prometiam soluções rápidas (muitas vezes imediatas), aparentemente fáceis, de custo baixo (na realidade, não eram) e generalizadas à grande maioria dos casos.

Mas, os especialistas advertem que ‘milagres’ não existe na Reabilitação Oral e que é preciso ser muito seletivo e criterioso ao se decidir por um procedimento dessa magnitude. Um tratamento com implante e prótese seguro e de qualidade requer várias visistas ao Dentista até que o processo seja concluído. O tratamento completo para a realização de um implante e sua respectiva prótese pode levar de seis meses a dois anos, considerando a etapas de Exames Clínicos, planejamento do tipo de prótese a utilizar, a avaliação de exames complementares de sangue e urina detalhados, a etapa cirúrgica de instalação dos implantes, a etapa de reparação óssea, a elaboração e colocação de próteses definitivas e a finalização do tratamento.

“Os pacientes devem desconfiar dos serviços que prometem prazos mágicos, num curtíssimos espaço de tempo, para concluir o processo de implantodontia. Estamos falando de um procedimento cirúrgico que é sim seguro e eficaz, mas que requer cuidados tanto por parte do profissional, da clínica e do paciente”, explica o Professor João Marcos Lacerda Rodrigues, que acumula mais de 10 anos de experiência em implantodontia e reabilitação oral no País.

Os implantes dentários são mais eficientes e resistentes se comparados a outros métodos de Reabilitação Oral, tais como dentaduras e pontes. Além disso, oferecem uma solução permanente para problemas de mastigação, fonética, respiração e estética do sorriso, pois formam um conjunto implante-coroa dentária sem comparação na melhora da qualidade de vida dos pacientes.

Com aparência natural, como de dentes verdadeiros, o conjunto implante-coroa realizado sob rígidas regras de qualidade registra uma taxa de mais de 95% de sucesso, com base em estudos com até dez anos de duração. “Cada paciente tem um comportamento clínico e emocional diferente e, por isso, é impossível e totalmente inadequado oferecer tratamentos odontológicos padronizados e generalizados, que visem interesses comerciais das clínicas. Em especial, no que diz respeito a implantes, um plano de atendimento e tratamento personalizado, que atenda as características de saúde e também as condições sócioeconômicas de cada paciente, faz-se cada vez mais indispensável”, enfatiza Lacerda Rodrigues.

Segundo ele, no geral, o implante não tem contraindicação e pode ser recebido inclusive por pacientes com necessidades especiais, tais como cardíacos e diabéticos. Contudo, nesses casos de portadores de doenças sistêmicas, a avaliação e planejamento são ainda mais rigorosos, mas não impedem, na maioria das vezes, que o paciente receba o tratamento necessário. Contudo, engana-se quem pensa que o uso de implante dentários dispensa os cuidados rotineiros de higiene bucal. “Se você cuidar bem de seus "novos dentes" (implantes e coroas), eles podem ter uma longa vida útil, melhorando grandemente sua qualidade de vida indeterminadamente, mas sempre com a supervisão do especialista em Implantodontia", finaliza Lacerda Rodrigues..